Acusado de matar TORCEDORA do Palmeiras, vai a júri popular

O torcedor do Flamengo Jonathan Messias Santos da Silva, acusado de arremessar a garrafa que resultou na morte torcedora do Palmeiras Gabriela Anelli, vai a júri popular. A data do julgamento ainda não foi revelada.

Decisão pelo julgamento

Segundo informação do jornal O Globo, a juíza Marcela Raia de Santana, da 5ª Vara do Júri de São Paulo, determinou que o caso seja julgado pelo tribunal do júri pelo crime de homicídio doloso (quando há intenção de matar), com as agravantes de motivo fútil.

A magistrada ainda negou a soltura de Jonathan, que está preso em regime fechado desde 25 de julho de 2023 e se tornou réu em agosto. A juíza coloca as circunstâncias do crime como agravante.

“O crime atribuído ao réu é grave, hediondo, cometido antes de uma partida de futebol, no contexto de briga entre torcidas rivais, o que evidencia o concreto potencial ofensivo do acusado. O modus operandi por ele adotado, consistente em arremessar, raivosamente, uma garrafa de vidro contra a torcida adversária sem se importar com a integridade física dos torcedores rivais, demonstra que possui personalidade violenta e deve ser segregado do meio social, disse a juíza, Marcela Raia.

A defesa por sua vez emitiu nota contestando a decisão tomada pela magistrada. O advogado de Jonathan ainda fala sobre um depoimento de um amigo do réu, que dizia que ele não havia sido o responsável pela morte da torcedora do Palmeiras.

“Infelizmente, a magistrada age de forma inquisitória no processo em desfavor do Jonathan, violando a plenitude de defesa, motivo pelo qual vamos impetrar um habeas corpus em face das nulidades ocorridas na audiência de instrução de julgamento ocorrida no dia 18 dezembro de 2023.

A defesa técnica segue confiante e resiliente na inocência do Jonathan, uma vez que a acusação se baseia em um laudo pericial completamente distante e contraditório da realidade apontada pelos depoimentos em produzidos em juízo. Infelizmente, sabemos que o processo criminal busca um culpado, porém não será um inocente. Portanto, Jonathan é inocente e a verdade prevalecerá no final”, disse o advogado José Victor Moraes Barros.

Uma briga que resultou na morte da torcedora do Palmeiras

O caso aconteceu no dia 8 de julho, em um confronto entre as torcidas organizadas de Flamengo e Palmeiras. Durante a confusão uma garrafa arremessada resultou na morte da torcedora Gabriele Anelle.

A partir da verificação e do cruzamento de imagens de vídeos feitos por torcedores com as gravações do sistema de reconhecimento facial do estádio, os investigadores da Polícia Civil de São Paulo concluíram que Jonathan foi a pessoa que arremessou a garrafa que resultou na morte da torcedora do Palmeiras.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.